A morte da condessa
Viajante do Tempo
Tipo: Lírico
Postado: 21/10/20 21:53
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 6min a 8min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 139
Usuários que Visualizaram: 8
Palavras: 1001
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Este poema se passa após "Dançaram até o inferno".

Capítulo Único A morte da condessa

Como cheguei onde estou?

Eu era um parasita

Assim eu era chamado

Evitava mostrar que eu existia

E me trancava

Mas a cada dor

Eu crescia

Até ganhar vida

A indecisão e a dor

Todos tem isso

E pensam que controlam

Esse lado ruim

Mas a verdade é que

A cada mágoa e dor

Esse lado aparece

Você pode guardar

Mas ainda pode

Sentir infectando você

A coisa é que

Mentiras

Me fazem crescer

Acho que apenas uma

Me amou

E queria me ver

Quando eu ainda era trancado

Ela sumiu

Como várias

Mas a maioria o fazia

Depois de magoar

Perdão

Esqueci que você estava aqui

Eu iria atrás de você

Eventualmente

Mas

Me pediram

Você magoou o imortal

Então sua morte

Foi adiantada

Desculpe-me por falar tanto

Apertei o interruptor

E ela foi eletrocutada

Não o suficiente para morrer

Mas para sofrer

Ela grita

A questão é que

Quando eu tive a chance de viver

Saciei todas as vontades

Que tive e eu gostei

Quebrar corações

Como se fazia comigo

Mas o problema foi

Que quando foi a hora de eu voltar

Para aquele quarto escuro

Eu não fui

E eu dei choque nela de novo

Ela estava acorrentada

E sofria muito

Eu fiquei

E a questão é que

Ao ter vida própria

Eu fui traçando meu caminho

Até me descobrir

Como eu sou hoje

Eu sou um lobo

Eu caço

E pessoas cruéis

É minha presa

Mentirosos

E eu matei traidores

Mas você

Você é o diabo

Condessa

Quem diria

Que você iria me alimentar

Como um antigo Viajante do Tempo

Que ingenuamente

Pensou que alguém o amaria

Você apareceu

E essa é a decepção

Descobrir que ninguém vem

A não ser monstros egoístas

Demônios

Para roubar o pouco de sanidade que ainda tem

E novamente ela foi eletrocutada

As pessoas querem o bem

Mas não o praticam

Querem verdade, mas mentem,

Querem amor

Plantam prazer

E quem ama de verdade

É apenas um poço

Do qual quando acaba a água

Procuram outro

E por falar em água

Você deve estar com calor

Deixa eu preparar algo para te refrescar

Eu puxei uma alavanca

E ela caiu na água fria

E depois puxei novamente

Quando ela começou a se afogar

Puxei a alavanca novamente

Ela puxava ar

O máximo possível

Enquanto eu só olhava

É engraçado se afogar

É desesperador

Você não quer beber a água

Mas seu corpo precisa substituir o ar

E você acaba cedendo

Quando você cede

E respira o amor

Que dizem dar a você

É bom

Mas e quando o amor acaba?

Você não sabe mais respirar

A solidão

E você sufoca

E sufoca

Eu me afoguei em você

E agora é sua vez

De se afogar

E puxei a alavanca

E ela foi para o fundo da água

E depois de um tempo

A puxei novamente

E a olhei

No fundo dos olhos dela

E naquele momento

Naquele momento

Éramos íntimos

Pude ver o que vejo dentro de mim

Todos os dias

Desespero

E medo

Enquanto ela se agarra a vida

Eu mando presentes à morte

Eu a encarei

Olhe em meus olhos

Veja meu olho mais claro

E se veja nele

Veja o oceano mais limpo

E agora

Saiba que ele é apenas desespero

E você irá sentir isso

Pelo tempo que mentiu comigo

E você vai desejar

Morrer

As pessoas não fazem ideia

Do quando podem mudar a vida de alguém

Imagine que cada pessoa é uma estrela

Algumas brilham mais que as outras

Eu a coloquei na água novamente

Mas sem afogar ela

A água estava congelando

E ela tremia

Continuando

Algumas pessoas

Roubam o brilho das outras

Outras fazem de tudo para apagar

A verdade é que

Algumas pessoas só conseguem

Ser boas

Até onde a vida permite

Pois as pessoas

Não imaginam que vai ter volta

E você e todas que fizeram isso comigo

Não conseguem imaginar que criaram isso

Está frio não é

Deixe eu tirar você dessa água

E agora

Que tal fogo?

Para sentir em sua pele

Ela chorava

Eu sequei as lágrimas dela

E acendi o maçarico

E comecei pelos pés

Dói

E ela gritava

Dói porque eu senti na alma

Eu queimava de dor

Queimava por amor

Enquanto algumas estrelas

Se apagam

Outras viram um buraco negro

E esse sou

Tragando vida por onde vou

Magoo algumas garotas

Para aprenderem a lição

Mato algumas que acabam com a vida dos outros

Eu purifico esse mundo

Para que pessoas boas

Não sofram nas mãos de gente como você

Eu queimei os pés dela

E parei

Por algum motivo

Senti aquele antigo lado bom

Dentro de mim

Ela estava acabada

Mas eu não posso sentir isso

Não há retorno

Eu sou o lobo negro

A morte para gente como ela

Tudo isso

Aconteceu em meses

Já era o décimo mês de tortura

Eu deixava ela se curar

Para iniciar novamente

Então decidi

Algo novo

Eu avisei o namorado dela

O local

E depois de algum tempo ele apareceu

Eu levei ele até ela

E ele a viu acorrentada

Machucada

Sem cabelo

Algo que fiz

Em torturas psicológicas

E eu disse que ele poderia levar ela

Mas se falassem algo

Eu mataria os dois

Ele agradeceu

E a colocou no colo

E quando estava quase saindo

Eu chamei os dois

E disse

Mudei de ideia

E atirei nele

Ela começou a chorar no chão

Eu me aproximei

A culpa é sua

Você ajudou a me criar

A mentira tem um preço alto

E esse foi o seu

Coloquei ela na corrente

E a joguei na água

E a eletrocutei

Não posso voltar a ser o que eu era

Eu sentia essa eletricidade

Quando falava com ela

E ela mentia para mim

Perdi oportunidade

E isso foi há muito tempo

Eu consegui parecer

Que ele tinha feito aquilo

E havia se matado

O mundo é cruel

Eu fugi da morte

Quando me fizeram nisso

E agora sou

Uma mera imagem depravada

Da morte

Lobo Negro Jonhy

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 21/10/20 22:29

A tortura nas suas múltiplas formas...

Só posso dizer que foi uma leitura terrível...

Conseguiu me assustar...

Postado 22/10/20 02:42

E eu agradeço rsrs, significa que consegui causar impacto ,obrigado!

Postado 21/10/20 22:41

Ah, corações partidos, apaixonados e enciumados são tão fervorosos e criativos. Adorei o modo como o narrador tenta justificar seus atos. Acho tão fofo. Triste, mas fofo.

Gostei ❤

Postado 22/10/20 02:43

Obrigado, aí que está, ele é o "herói" de sua própria história!

Postado 06/01/21 15:53

Que obra incrível e pesada.

Obrigada por compartilhar conosco!

Parabéns, Viajante ♥

Outras obras de Viajante do Tempo

Outras obras do gênero Ação

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo