Escritório
lest
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 21/05/17 17:34
Editado: 21/05/17 18:01
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 6min a 8min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 319
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 1079
[Texto Divulgado] "Os Coelhos Tristes" Querida! veja os coelhos tristes! Tão brancos e tão pretos e tão cinzas! Todos eles são coelhos e todos nós somos coelhos, somos tristes e somos brancos e cinzas e marrons e rajados.
Não recomendado para menores de dezoito anos
Capítulo Único Escritório

Estava um dia frio, e estava em meu pequeno escritório preparando as minhas próximas aulas, enquanto eu corrigia algumas outras provas, para ver que conteúdo ainda faltava para aquela turma. Ouço batidas ocas na porta, e quando peço para entrar é uma de minhas orientandas de TCC, que já estava no final do trabalho, que estava vestida com um casaco longo de frio que ia até metade de suas coxas, e não conseguia ver nada além desse ponto, além de suas próprias pernas, e por algum motivo que não entendi naquele momento, ela tranca a porta logo ao entrar.

-O que gostaria? – Perguntei olhando para ela de forma séria.

-Desculpe atrapalhar seu trabalho, mas eu estou com algumas dúvidas com os retoques finais de meu trabalho, então queria vir saber sua opinião – Ela dizia vindo em minha direção do outro lado da mesa, com seu trabalho em suas mãos.

-Tudo bem, só agradeceria se você tivesse me avisado sobre isso antes – Colocava os livros e papeis de lado, abrindo espaço em minha mesa para que ela colocasse seu trabalho – Pode pegar uma cadeira no canto da sala, e me traga o trabalho.

-Não precisa disso seu bobo – Ela ria de forma dengosa, ficava de costas para mim, segurando a barra de seu casaco como se fosse uma saia, e então senta no meu colo, pensei em realmente a repreender por isso, porém a sensação quente de suas pernas sobre as minhas era realmente muito agradável.

Logo ela colocava o trabalho sobre a mesa, e eu o lia com atenção fazendo algumas anotações em suas laterais onde ela poderia melhorar o mesmo, enquanto eu lia, ela se mexia em meu colo enquanto via eu escrevendo, e assim eu sentia suas pernas cada vez melhor, vendo que suas pernas estavam muito quentes, e a suavidade com que me tocava parecia não ter mais nada além de minhas calças entre nossas peles. Aos poucos percebia meu membro endurecer por baixo dela, o que me deixava preocupado por a incomodar, mas não parecia que ela percebia isso, por que ela continuava se movendo devagar enquanto sorria. Logo que eu terminava de ler, eu explicava para ela todas as correções que tinha feito, e ela observava atentamente fazendo comentários pertinentes, além de ser muito bela ela também era muito competente, realmente era um encanto, e logo ela afasta o trabalho, e então se levantava do meu colo, de frente para mim, e abria o casaco, revelando que só usava roupas íntimas por baixo dele, como em um reflexo coloco a mão em sua coxa com firmeza, mas logo a tirava.

-Ah, me desculpe por isso... – Dizia subindo os olhos aos dela, percebendo que ela mantinha seu sorriso bobo, porém caloroso.

-Não precisa se preocupar com isso, eu vim aqui justamente para sentir essas mãos... – Dizia ela olhando nos meus olhos, puxava minhas mãos para as coxas dela novamente.

Logo ela se aproximava devagar, dando pequenos passos até que já estava colada em mim, e então eu abraçava sua coxa devagar enquanto passava as unhas por sua pele com carinho, e assim ela segura a parte de trás de minha cabeça puxando para seus seios, onde eu ficava inebriado com seu doce cheiro, e logo dava alguns beijos devagar, a fazendo gemer levemente. Logo após de eu dar uma mordida leve em seu seio, ela se afasta um pouco rindo, então se ajoelha devagar entre minhas pernas, colocava as mãos devagar em minhas coxas, logo abria minha calça devagar. Ela sorria carinhosamente ao perceber que meu membro estava completamente ereto quando ela o revelou, e logo colocava sua mão sobre ele, o acariciando devagar enquanto beijava minha grande, até o momento que colocava sua boca sobre ele o sugando com carinho, porém sugando com força pressionando os lábios contra ele. Logo eu soltava um pequeno gemido sorrindo devagar com o carinho dela, retribuindo com carinho devagar em sua cabeça enquanto brincava devagar com seus cabelos, e o fato dela não parar de me olhar enquanto me chupava só me deixava mais excitado, sendo minha mais bela aluna.

Logo que se levantava de novo, terminava de tirar as roupas que lhe faltavam, principalmente a parte de baixo que rapidamente caia no chão pelo peso extra de sua umidade, e assim ela fecha minhas pernas e sobe em cima de meu colo, com os joelhos de cada lado de meu corpo, logo usando suas mãos para guiar meu membro para dentro de seu corpo, me fazendo sentir todo o calor e umidade que me fazia me sentir em casa. Rapidamente ela colocava as mãos sobre meus ombros, e assim movia o quadril devagar, começando de rãs para frente, depois começava a se mover de cima para baixo, e por fim para os lados, começando a rebolar totalmente em meu colo, onde eu sentia toda a parede de sua vagina sobre meu membro, indo cada vez mais fundo até o ponto que começava a sentir o final dela. Quando eu chegava nesse ponto dentro dela, ela gemia alto perto de meu ouvido, o que me fazia ficar ainda mais louco, e então segurava sua cintura com muita força, ajudando seus movimentos com carinho, porém muita firmeza, a fazendo se movimentar cada vez mais rápido, até o ponto que ela inclina a sua cabeça para trás por causa do prazer.

Não conseguia mais me controlar, então coloco as mãos sobre suas coxas e a levantava com força, a jogando contra o centro da mesa que estava vazia, com um baque sonoro que ecoou por toda a sala. Ela me olhava confusa e assustada, mas parecia gostar da situação atual, então fechava suas pernas e colocava seus joelhos por cima do meu ombro, nesse momento seu sexo estava bem mais apertado devido a compressão das pernas, e seu quadril levantado por ter puxado suas pernas, deslizava as mãos até a parte superior de suas coxas, quase em sua virilha, e assim começo a me mexer com muita força, mas indo bem devagar, e assim conseguia tocar em todo seu sexo por dentro, e a cada estocada ela gemia mais alto, segurando forte na borda da mesa. Me inclinava um pouco sobre ela, a fazendo se inclinar mais enquanto levantava seu quadril, soltava o ar que estava preso em meus pulmões com força em um gemido longo, e logo que sentia seu sexo estremecer em volta do meu, eu o tirava dela para soltar meu gozo em seus seios e barriga.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 18/12/17 01:58

Uaaaaaaal, que intenso! Adorei, simplesmente.

Parabéns!