O nosso nós
Sorelly
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 27/06/18 20:41
Editado: 27/06/18 20:44
Gênero(s): Drama Romântico
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 2
Comentários: 2
Total de Visualizações: 336
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 559
[Texto Divulgado] " Bicicleta" "Meu bem, a vida é como andar de bicicleta, só chegamos a algum lugar se aprendermos a cair e se nos movimentarmos."
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Sentimento do dia: Ellipsism

a tristeza de ter a noção de que você nunca vai saber como uma história se desenrolaria

Capítulo Único O nosso nós

E então tudo mudou. Cinderela não se acostumou com a realeza e, consequentemente, viu em seu próprio casamento o exemplo ideal de fracasso e traição. O Gato de Botas, ao ostentar tamanha inteligência e manipulação, ficou cego ante ao seu senhor, sendo descartado como um lixo qualquer ao anular a possibilidade de não mais ser útil.

Já a Tartaruga, que horrível mudança a esperava, pois não era imaginado que sua vitória fosse a passagem para o estômago faminto de sua vingativa amiga, a Lebre. Todavia, pior fora o destino de Chapeuzinho, que sentiu sua inocência infantil ser estraçalhada e corrompida ao ser obrigada a agradecer com o próprio corpo o lenhador que a fez de escrava até que fechasse os olhos para sempre.

E quanto a nós? “Nós” não existe, e agora nunca vai passar de nada.

As lembranças de quando andávamos de mãos dadas continuam nítidas, apesar desses meses e quilômetros que nos separam, mas talvez isso já não signifique tanto quanto deveria. Ver o seu sorriso eternizado nas fotos que ainda guardo é como um lembrete de que tive a felicidade em minhas mãos e as deixei cair. Não por minha culpa. Não por sua culpa. Mas talvez nossa.

Tínhamos tudo para dar certo. Você era a parte sensata da relação; a parte que se mantinha firme e forte para não perder o foco por quaisquer obstáculos que intervissem. E eu era a parte emotiva; a parte sensível que sempre se manteve presente para o dia em que, quando tudo desmoronasse, estaria de braços abertos para confortá-lo.

Mas ter tudo não é sinônimo de dar certo. E apesar de todo esse tempo de cumplicidade, tudo que um dia nós fomos se tornou um inevitável nada. Nós nos tornamos um nada.

Eu poderia ter tentado mais um pouco, mas sei que essa frustração jamais sairia de sua cabeça. Talvez realmente fosse certo cada um seguir seu próprio caminho. Porém, sou egoísta ao ponto de não desejar a sua felicidade com outra pessoa por vários minutos antes de me arrepender ao ter esses pensamentos.

No entanto, não sou cega para não perceber o abismo que se instalou. Relacionamentos à distância nunca foram fáceis, mas a promessa que isso não nos afetaria durou um bom tempo antes da sua famosa e persistente sensatez emergir do esquecimento, porque para você, eu apenas seria feliz com alguém mais presente.

Só que você nunca me entendeu. Nunca entendeu que eu não precisava de nenhum contato físico, só precisava de você. Mas talvez esse tenha sido nosso erro. Eu o amei demais. Apoiei demais. Confiei demais. Sendo tudo igualmente recíproco. E talvez esses sejam os motivos de nós não mais existirmos.

Ainda me vejo presa em demasiadas quimeras. Fantasio uma garota feliz desembarcando no aeroporto e sendo rodopiada nos braços daquele que a aguardava durante alguns angustiantes anos; um homem nitidamente nervoso, dando o sorriso pela qual a mulher que acabara de entrar com um exuberante vestido branco havia se apaixonado; o pequeno milagre de Deus correndo pelo jardim, com os olhos e a personalidade do pai, os cabelos e a maturidade da mãe. Me vejo presa no nosso conto de fadas.

Todavia, contos de fadas nunca existiram, e o nosso não passou de uma dolorosa ilusão que nos foi privado de saber o verdadeiro desfecho se tivéssemos construído e persistido no nosso nós.

❖❖❖
Apreciadores (2)
Comentários (2)
Comentário Favorito
Postado 21/10/18 23:22

Quantas e quantas vezes me vi aprisionada em uma paixão e uma vida inteira que apenas existiu dentro da minha cabeça?

Esse texto arranha minhas costas, pois ele é visceral e explosivo!

Os nunca acontecimentos de amor, são os mais difíceis de se superar e os melhores para se arrepender em rimas.

Sua obra é estonteante, espero que a narradora esteja recuperada e seu coração esteja curado, talvez algum dia ela saiba e possa aceitar que nem sempre, a pessoa que ela ama ardentemente, seja a pessoa pela qual ela precisa lutar.

Obra linda! Parabéns!

Postado 28/02/19 23:19

Que obra incrível! A leitura é leve, mas a atmosfera que a rodeia é extremamente pesada por transparecer com veracidade da desilusão. As imagens dos contos de fada para exemplificar o sentimento de desencanto é tão maravilhosa que o leitor consegue fazer associações rápidas, deixando a compreensão da obra ainda mais profunda.

Sem contar que todos nós, de alguma maneira e em alguma medida, já fomos este narrador sonhador que por experiências ruins, acaba desistindo e vendo a realidade nua e crua.

Obrigada por compartilhar esta obra conosco. Está incrível!

Meus parabéns ♥