não tenha medo da morte.
GirassolSol
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 05/05/21 15:01
Gênero(s): Mistério Sobrenatural
Tags: vampiros
Avaliação: 7.13
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 6
Comentários: 3
Total de Visualizações: 249
Usuários que Visualizaram: 11
Palavras: 311
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

espero que gostem

Capítulo Único não tenha medo da morte.

Eu estava no chão sujo do cemitério, não era grama verde e bela, apenas um chão ladrilhado e desbotado, as lápides me encaravam e os nomes dos mortos pareciam sempre mudar de lugar.

ouvia vozes estranhas, risadas e gritos, céu e inferno brincavam entre si em minha mente confusa, senti sua mão congelante em meu pescoço, só enxergava suas roupas vitorianas já em fiapos, e seus olhos vermelhos.

_ Você quer viver? _ ele sussurrou em meu ouvido com sua voz grave _ quer?

_ Não sei, tenho medo de viver _ disse em um fio de voz.

_ Então quer morrer?

_ Não, tenho medo do julgamento divino.

Ele me olhou e mesmo com a vista borrada, enxerguei seu sorriso, senti sua lingua gélida nos dois pequenos buracos que ele fez anteriormente em meu pescoço com seus dentes afiados, doía, mas era estranhamente agradável.

_ Te darei então, a morte e a vida, o eterno e o vazio, a doce loucura do coração mudo e da alma infernizada pela eternidade.

Uma pausa se fez, senti então entrar garganta a baixo um gosto amargo e gelado, horrivel e saboroso, será esse o gosto que se prova quando se morre?

O tempo se passou, senti meu corpo todo queimar em agonia, porém não me mechi, apenas deixei continuar, doía e era agoniante, parecia que o diabo fazia sexo com minha alma enquanto a mesma estava amarrada em grilhões de ferro ardente.

De repente, morri.

Foi apaziguador.

Abri os olhos e não compreendi.

_ Por que estou viva? _ me ergui do chão naturalmente, como se nunca tivesse partido.

_ Não está _ ele estendeu a mão _ apenas te fiz um favor.

Segurei sua mão palida, ainda sem olhar-lo na face, como se ele fosse sagrado.

ele então entoou em minha mente:

"não tenha medo da morte, sua vida apenas começou através dela, agora vive, e agora morre, não há mais medo, apenas o vazio."

❖❖❖
Notas de Rodapé

É isso

Apreciadores (6)
Comentários (3)
Postado 21/05/21 22:38 Editado 21/05/21 22:39

Que encantadora conversa filosofica com um eterno vampiro~

Adorei seu conto e fiquei deslumbrada com a parte: "[...] ainda sem olhar-lo na face, como se ele fosse sagrado." — menina que doideira mais incrível, mas imagino que receber a imortalidade daria esse sentimento mesmo...

Agradeço, ainda encantada com tal encontro, pior compartilhar sua obra como uma amante de históriais sobrenaturais adorei muito!!~~

Assinado uma pequena vampira,

<3

Postado 23/05/21 10:01

Ah, obrigada querida e doce Shizu! Fico feliz que tenha apreciado a obra como um todo.

Assim como ti, sou amante do sobrenatural, estamos juntas nessa hahaha!!

Abraço!

Postado 22/12/21 18:58

Gosto de obras com vampiros e gosto de obras que possuem reflexões filosóficas. Como a sua narrariva possui os dois, foi impossível não adorar ler cada palavra e refletir acerca de cada uma delas.

Obrigada por compartilhar conosco.

Parabéns, Sol ♥

Postado 30/01/22 13:45

Não sei porquê, mas lendo seu texto me lembrei do "Holandês voador" oferecendo a escravidão aos moribundos...

Que coisa, não?!

Obrigada por compartilhar conosco!