Psicopata
Sabrina Ternura
Tipo: Lírico
Postado: 20/07/16 15:58
Editado: 03/12/22 22:23
Avaliação: 9.8
Tempo de Leitura: 39seg a 52seg
Apreciadores: 7
Comentários: 5
Total de Visualizações: 2161
Usuários que Visualizaram: 14
Palavras: 105
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dez anos
Capítulo Único Psicopata

Ferirei teu âmago

Com afeto,

Antes que este bem

Fuja com outro alguém.

Penetrarei teus olhos

Feito lâmpada,

Até que outro ser

Ilumine você.

Apertarei tuas mãos

Como cinto de segurança,

Antes que eu deixe de ser

Tua esperança.

Invadirei teus sonhos

Como um bandido,

Para que fique comigo

Até nos pesadelos mais antigos.

Beijarei tua boca

Até que o ar deixe teus pulmões,

Antes que outro alguém

Te mate asfixiado.

Cuidarei de teus ferimentos

Com água e veneno,

Até que outra surja

E manche tuas roupas com luxúria.

Amarei você

Com as águas nos joelhos,

Até que alguém apareça

E se lance por inteira.

❖❖❖
Apreciadores (7)
Comentários (5)
Comentário Favorito
Postado 30/10/20 01:10

Quem diria que desde os primórdios da Academia a nossa Brina já dava indícios de trazer à tona a Tortura e Terrorista. Estou chocada, ao mesmo tempo que já esperava hahahaha

Esse poema nos leva a tantas interpretações. Há uma sutil ameaça pairando no ar, ao mesmo tempo que é uma confirmação do amor aliada a aceitação de ver o amado nos braços de outra - obviamente não por inteiro, porque ainda acho que acidentes irão acontecer.

A maneira como você estruturou esse poema foi ótima, mesclando ameaça com declaração de amor. É como se cada ato mórbido tivesse uma desculpa amorosa para mesclar a intensão. Seria para não pesar na consciência? Na tentativa de se esconder? Ou apenas um jogo perigoso?

Eu amei esse poema. Parabéns, Brina ♡

Postado 31/10/20 17:30

Não tenho palavras para responder seus comentários incríveis.

Obrigada pela presença e comentário ♥

Postado 20/07/16 16:48

Já amei desde o título!

Que poema lindo! *----------*

Postado 20/07/16 17:43

Obrigada, Flávia! Fico feliz que tenha gostado, rs.

Postado 20/07/16 19:51

Soa como uma declaração de amor feita pela Srta Flávia a algum pobre ser humano... Se houvesse lâminas nos versos, eu teria certeza absoluta que ou o poema se tratava disso ou inspirado nela...

Como a senhorita bem sabe, minha interpretação não foi das mais benignas, pois mesmo o tal Amor dizem que fere e até mata (ou faz morrer). Todavia, é inegável a beleza singela tanto da estrutura quanto do poema em si. Parabéns pela obra de levíssima (e inspiradora) malevolência, Srta Sabrina!

Atenciosamente,

Um ser que leva o Mal ao pé da letra, Diablair.

Postado 21/07/16 01:21

Fico imensamente agradecida por teu comentário. Conheço bem suas interpretações, rs. Tentei explorar um pouquinho esse lado não tão bom do amor (é claro que nada daquilo é literal, obviamente) e espero ter feito isso da melhor forma possível.

Grata, Diab c:

Postado 22/07/16 23:02

Não é tão ternura assim hehehe. Mas foi realmente como o Diab disse. Soa como uma sádica declaração de amor e doentiamente linda! Parabéns! :D

Postado 23/07/16 00:10

Nem só de ternura se pode viver a vida, não é? rs

Agradecida, Joice c:

Postado 15/08/16 00:34

Teve um texto que disse que seguia a linha de Macaé e Oitavo andar de Clarice e acho que essa tá bem no estilo, também. ^^

Essa morbidez fofa, bem caracterísitica da Clarice é muito show, parabéns, Brina. ^^

Postado 17/08/16 20:09

Ser comparada com aquela linda da Clarice é algo que me deixa extremamente lisonjeada <33 agradeço, Gio.

Outras obras de Sabrina Ternura

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Romântico

Outras obras do gênero Terror ou Horror