O feitiço de Romilda
Monise
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 27/10/20 23:59
Editado: 28/10/20 00:10
Avaliação: 9.33
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 3
Comentários: 2
Total de Visualizações: 89
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 428
[Texto Divulgado] "Seis e Dezesseis." Sobre a culpa inexplicável que eu carrego dentro do peito, culpa por algo que não sei o que possa ser, culpa por existir, culpa por ser assim. Me desculpe, não deu para resistir.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

No Desafio das Imagens Ocultas, isto foi a única coisa que me ocorreu.

Um texto fofinho de amor...

Fazer o quê?

Espero que gostem...

Capítulo Único O feitiço de Romilda

Romilda a bruxa era esdrúxula

Uma vergonha para as forças do mal...

Não entendia o que se dizia

Não acertava um feitiço

Mas o pior de tudo, o mais perturbador

Era que Romilda sonhava com o amor...

A bruxa mãe se descabelava

Tentava por todos os meios possíveis

Esconder a vergonha da família

Mas prá sua desgraça,

a filha nem disfarçava

Suspirava de baobá em baobá

Repetindo ridículas rimas...

Chegou o dia dos exames finais

No de vôo até que Romilda se garantiu

Mas na hora do feitiço a distância

O reitor da escola grunhiu

Quando o feitiço desembestado de Romilda o atingiu

E o transformou num lindo coelhinho rosa!

Fracasso, humilhação, vexame

O avô de Romilda bradava, gritava

Descabelava a grisalha barba

Mas o que fazer?!

Romilda tava mais pra fada

E isso era de doer...

Ficou de exame, claro

Só não reprovou em consideração

a doação que seu pai fez a escola

Entretanto, se agora não passasse

Ela que voasse e se escafedesse dali...

E agora Romilda, o que fazer?!

Foi na masmorra de sua casa

Mexeu do velho baú da trisavó

Que morrera no ano passado

Na colisão com um F16,

lamentável episódio...

A letra da trisavó era sofrível

Contudo Romilda precisava tentar um feitiço

Achar algo propício

Que a ajudasse a passar

Ser expulsa seria de amargar...

Achou algo curioso, poção do quero-bem

Tontisse de Romilda, que ao ler

Leu "quero ir bem"

Ela não conseguiu entender

A letra floreada da velha bruxa

Puxa, lá vinha confusão...

Fez a poção, precisava borrifar sobre o alvo

Pensou, vou jogar em toda sala do exame

Aí não dou vexame e salvo meu pescoço

É isso seu moço! Ahaaa!

E lá foi ela prá universidade

Incrivelmente acertou o feitiço de invisibilidade

Passou pela segurança

Chegou na sala do exame

Borrifou a poção prá todo lado

Não ia ter vexame! Isso!

Atrapalhada como sempre

Romilda nem percebeu o reitor na sala

Lendo na mesa!

Quando viu levou um baita susto

Perdeu a concentração na invisibilidade

Ô maldade! Estava em frente ao reitor

Irremediavelmente perdida...

No susto gritou

O reitor levantou a cabeça

Ao ver Romilda o feitiço fez efeito

E de que jeito?!

Romilda também o aspirou o feitiço?

Quê isso?!

Reitor e Romilda apaixonados

Nenhum dos dois percebeu o feitiço

Foi isso, suas almas se selaram

Se amaram

E nessa confusão

Nova era nasceu...

Amor e bruxaria

Estranha magia,

nascia uma era inusitada

Mais nada,

Num feitiço atrapalhado

Um sonho realizado!

E cada um que cuide do que é seu

Pois o reitor bruxo

É só meu!

❖❖❖
Apreciadores (3)
Comentários (2)
Postado 28/10/20 22:09

Se eu fosse bruxa, eu seria a Romilda, tadinha hahaha

Transformou o reitor em um coelhinho rosa, que tragédia kkkkk

Aaaaahhh e no final eles terminaram apaixonados pelo feitiço errado dela, que gracinha mais fofa <3

Adorei o final do poema, tão meiguinho, Romilda e seu amor reitor <3

Parabéns pelo poema, e um grande abraço!!

Postado 01/11/20 12:07

Fico feliz que tenha se identificado!

Obrigada por ler e comentar :)

Postado 31/12/20 02:16

Adorei esse poema! Romilda conta comigo para tudo kkkkkkk

Obrigada por compartilhar conosco!

Parabéns, Monise ♥

Postado 31/12/20 14:23

Romilda agradece...rsrsrs

Outras obras de Monise

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Romântico