A ética de um Professor
Amara Helena
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 20/09/18 10:32
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 1
Comentários: 2
Total de Visualizações: 116
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 268
[Texto Divulgado] "O gato de Schrödinger" Homem acorda e descobre que todas as pessoas sumiram.
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Amara escrevendo pornozão de aluna do Ensino Médio alá Malhação

Capítulo Único A ética de um Professor

Infelizmente, minhas vãs tentativas de exercer minha profissão eticamente resultaram em desastrosas frustrações luxuriosas em noites solitárias e cálidas, onde minhas fantasias assombravam-me de modo fantasmagóricos, como provocações beijando minha fértil imaginação. De fato, é mais difícil para mim lidar com os graciosos lábios da malícia, do que com a enxurrada intensa da mente, que leva à loucura ríspida; no entanto, ambas são laboriosas, mesmo com a ansiedade influente da primeira.

Presentemente, encontro-me cedendo às minhas vontades de flerte, olhando as pernas brancas e grossas de minha aluna, imaginando-a sentada em meu colo, com minha mão na coxa, levantando aquela saia curta, apertando a carne suculenta até ficar vermelha e rebolando o quadril dela no meu pau...Porra!

−Professor - Melissa era o nome dela -, eu não entendi nada, sério. O senhor falou um quilo e não entendi grama alguma - ela se inclinou sobre a mesa, os seios quase pulando na minha cara.

Puta que pariu!

- Tudo bem. O que você não entendeu?

Melissa deu um sorriso que não consegui entender, mas que me pareceu extremamente malicioso.

- Já disse: nada. Eu poderia passar depois da aula na sua sala?

Merda!

- Claro que pode. Até logo - e ela saiu, rebolando aquela bunda grande e redonda pra caralho.

Estou dizendo, não vou fazer algo com Melissa. Ela é minha aluna, eu sou professor de Filosofia. Não vai importar se ela querer, é meu dever cumprir com minha ética. Posso até ser expulso! Sério, não vou bater naquele rabo sexy e apertar aqueles peitões. Ou não vou meter minha piroca naquela boca carnuda. Ou meter naquela buceta gostosa.

Não vou, sério. É sério...

❖❖❖
Notas de Rodapé

Vocês notaram o que aconteceu no meio para o final?

Apreciadores (1)
Comentários (2)
Postado 20/09/18 11:06

Uma linguagem simples e direta que muitas vezes revela nossos instintos e como temos que lutar contra nossos hormônios

Postado 26/09/18 19:55

hahahaha, não esperava ver algo assim vindo de você, Amara!

Muito bem escrito ;)