Maré Sublime (Em Andamento)
6 de Janeiro
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 31/10/18 16:59
Editado: 02/11/18 01:34
Qtd. de Capítulos: 2
Cap. Postado: 31/10/18 16:59
Cap. Editado: 02/11/18 01:23
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 54
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 298
[Texto Divulgado] "Tempestade" Porque eu sou como uma força da natureza, não tente me parar. Isso é tudo o que eu te peço.
Livre para todos os públicos
Maré Sublime
Capítulo 1 A partida

Quando a lua banha as águas em toda e qualquer madrugada, é perceptível somente aos olhos mais atentos e intensos, a beleza das borbulhas cintilantes na água.

Peixes? Baleias? Algas?

Explicações científicas e sensatas para qualquer mistério que aparece no mundo mortal e humano, mas eu... Eu acredito na misteriosa beleza encantada da natureza...

A irmã maior de Catarina, implorou para que a infante não se fosse.

Mas a magricela estava decidida.

A mais velha com rugas de desgosto, ainda sofria pelo abandono do noivo, dos pais e de todos, estava em seu momento mais medonho e não podia permitir que sua única irmã e última alegria de vida, se fosse.

"Não me abandone" - ela se ajoelhou nas escadas.

"Não posso garantir" - pontuou a pequena de dezessete ciclos completos.

"Não se vá, não ouse me deixar!"

"Estão todos mortos, Lisboa, já é tempo de deixá-los para trás..." - Catarina apontou para os baús nos quais as cinzas repousavam.

"Não posso dirigir esta mansão sozinha!!! " - a mais velha com seu manto negro e com as lágrimas alagando o piso começou a gritar.

"A escolha é unicamente sua".

A pequena abriu as cortinas, admirou o frescor da noite e saiu, deixando para trás o coração em pedaços da irmã enlutada.

A jovenzinha andou léguas e léguas, ouvira em algum lugar que a maré sublime curava almas adormecidas.

Ela tinha de encontrá-la, mas, havia um porém... Catarina era cega.

Guiada por odores, barulhos e texturas do solo, a menina seguiu pelo escuro.

De segundos em segundos, ela tinha a sensação de que alguma luz estava bem diante de seus olhos, passando de raspão, pegando-na de surpresa.

Dizem que a maré sublime, só pode ser encontrada com o coração, e o de Catarina estava quase saindo pela goela...

Era um bom sinal...?

❖❖❖
Notas de Rodapé

Continuem se aventurando no escuro comigo. Obrigada.

Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 01/11/18 14:16

Que final medonho!

Um ótimo primeiro capítulo, presentou prevemente e miseriamente a protagonista e sua infortuna irmã.

Estarei acompanhando essa promisorá história para ver até onde Catarina consegue ir neste vasto escuro mundo.

Não consegui entender essa parte "[...] Segundos ou outros, ela tinha a sensação [...]", poderia esclarecer-me?

Agradeço por compartilhar sua história.

<3

Postado 01/11/18 22:56

Sabe quando acendem a luz do quarto e você está de olhos fechados, mas sabe que acenderam por poder sentir a ardência da claridade?

Tentei descrever como se está claridade surgisse como flashs pelas pálpebras dela, por mais que ela fosse cega, é como se ela pudesse sentir a luz por alguns segundos ou outros... Não sei se me entende... Alguma sugestão de como posso melhorar essa frase?

Postado 02/11/18 01:07

Compreendi, agora as coisas ficaram mais claras.

Acredito que "segundos em segundos" ou algo mais semelhante ficaria mais claro a sua ideia, pois tronaria mais facil a leitura.

Espero ter ajudado.

<3

Postado 02/11/18 01:22

Você tem razão! Obrigada!

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Aventura

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Mistério