Mística – Safe & Sound (Em Andamento)
Usuários Acompanhando Nenhum usuário acompanhando.
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 02/12/18 17:58
Editado: 02/12/18 18:12
Qtd. de Capítulos: 1
Cap. Postado: 02/12/18 17:58
Cap. Editado: 02/12/18 18:12
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 46
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 596
[Texto Divulgado] "Descartável" Sabe, eu costumo fazer uso da escrita para desabafar, às vezes da fala também (mas não se pode falar por aqui). A questão deste poema é justamente esta: por que diabos você nem ao menos me escreveu adeus? Foi um descarte, como se o ser humano fosse descartável. Talvez aqui fique, já, uma ressalva: Não confunda às coisas, você não pode comprar tudo. E mais uma lembrança: O ser humano sente! (Parece óbvio, não?) Mas, acredite, há pessoas que parecem ter dificuldades de compreender isso. Boa leitura :*
Livre para todos os públicos
Mística – Safe & Sound
Notas de Cabeçalho

*Leitura com musica*

Moons :: Moons (Live) - https://www.youtube.com/watch?v=odxkx9iiTDs

Capítulo 1 Mística – Safe & Sound

O vento estava forte, as cortinas da cafeteria voavam de uma forma tão violenta, que eu não estava dando conta sozinha, então tive que correr de um lado para o outro até conseguir amarrar uma por uma.

O sininho faz um leve barulho e olho em direção a porta, a moça alta caminha para dentro do lugar sorrindo.

- Selena! O que vai querer hoje? - dou um sorriso enquanto coloco o avental que deixei em cima do balcão.

- Você. - Selena segura a minha mão e da um beijo demorado.

Fico sem graça e olho a nossa volta, pedindo a Deus que as três pessoas da mesa no canto não tenham escutado.

- Selena... - minha voz quase não sai, ela rir e se ajeita na cadeira.

- Um café e os biscoitos que você fez para mim naquele dia.

Vou em direção à máquina de café e preparo o seu pedido, ainda nervosa, entrego o seu café e me inclino no balcão.

- Deseja mais alguma coisa?

- Por agora nada... - sorri maldosa enquanto dá uma mordida no biscoito.

- Está bem.

Em direção à mesa do canto e pego os pratos e recebo sorrisos de agradecimentos quando os clientes vão embora. Essa era a hora em que eu fechava a cafeteria para um descanso e depois de algum tempo, abria novamente para o turno da noite. Viro a placa de fechado na porta e me sento na cadeira ao lado.

- Como você está? - pergunto fazendo um carinho em suas costas e me inclino pra lhe dar um beijinho no rosto.

- Estou muito bem agora que estamos a sós. - ela dá uma risada gostosa e abraça a minha cintura. - E você?

- Muito bem e feliz por você ter vindo hoje. – respondo com timidez.

Selena me agarra com rapidez e me deixa presa entre o balcão e seu corpo. Acaricio o seu pescoço e a puxo para um beijo.

As mãos de Selena me seguram com força e me prendem mais ainda no balcão, sem me deixar saída. Coloco a mão embaixo da sua blusa apertando um de seus seios e ouço um gemido rouco, lhe dou um beijo no pescoço...

Seus olhos mudam de cor, um cinza escuro toma o lugar dos olhos castanhos que estou acostumada a ver.

- Melhor pararmos por aqui. Você me deixa fora de controle. - ela sorri e me abraça apertado.

- Você não deveria vir aqui me provocar. - ela solta uma risada alta e me beija novamente.

- Hoje eu irei passar a noite fora, provavelmente mais de uma...

Selena para de falar e observa a minha reação, me afasto um pouco e olho nos seus olhos, que agora já voltaram ao castanho amarelado de antes.

- Eu só te peço que tenha cuidado... - acaricio a cicatriz no ombro esquerdo e dou um beijo na mesma.

- Vou ter cuidado meu amor, até porque não irei sozinha, estarei acompanhada da alcateia.

- Você sabe que isso não me tranquiliza. Da última vez... - não tenho tempo de terminar o meu discurso, sou interrompida.

- O importante é que estou aqui agora, mas a alcateia precisa de sua líder por perto.

- Eu sei disso... Mas pare de falar nesse assunto e venha me beijar.

- Seu pedido é uma ordem. - ela sorri me abraçando, ganho mais beijos...

Ficamos ali durante algum tempo e conforme a noite vai chegando, Selena precisa ir embora. Nos despedimos demoradamente, como de costume com um aperto em meu coração, mas sempre acreditando que ela volta das suas aventuras sã e salva...

Levo Selena até a porta e lhe dou um beijo demorado.

- Até logo lobinha... - fecho a porta atrás de mim sorrindo.

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de Pelas janelas de um coração

Outras obras do gênero Aventura

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero LGBT