Wrath and love (Em Andamento)
Vitória Turbiani
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 21/04/16 22:36
Editado: 16/11/17 20:51
Qtd. de Capítulos: 2
Cap. Postado: 21/04/16 22:36
Cap. Editado: 16/11/17 20:50
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 5min a 6min
Apreciadores: 7
Comentários: 6
Total de Visualizações: 511
Usuários que Visualizaram: 18
Palavras: 828
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Wrath and love
Capítulo 1. Amor, ódio, surpresa.

Os olhos turquesa estavam fixos no rosto da garota a sua frente. Seu sorriso enchia-lhe o peito com um calor que ele não conseguia explicar. Sua energia e felicidade deixavam-no, estranhamente, com um sentimento que apenas ela tinha a capacidade de proporcionar-lhe. Piscou duas vezes e sorriu. Estava feliz. Estava muito feliz. E muito triste ao mesmo tempo. Fechou os olhos e suspirou, levantando-se e indo até a janela da cozinha da casa dela.

Lembrou-se que ele não era o motivo da felicidade dela. Aquilo o irritava, e muito. Afinal, outro cara estava fazendo Julliet, a sua garota, sentir todo aquele turbilhão de sentimentos. E não, não era inveja. Até poderia ser, contudo ele estava com ódio por saber que o rapaz que ela dizia ser espetacular era, na verdade, um cafajeste.

Dizer ou não dizer? O que faço...?

Bryan engoliu em seco. Não queria estragar aquele sorriso perfeito de Jully, tampouco fazê-la chorar. Trincou os dentes e sentiu vontade de gritar o mais alto possível, até suas cordas vocais estourarem.

— Floquinho de neve...? Aconteceu algo? — A garota questionou com a voz baixa.

Ele, então, notou que parte da felicidade dela havia se esvaído. E teve a certeza que suas atitudes causaram isso. Fechando as mãos com força, odiou-se.

Maldição! Além de um covarde, encho a Julliet de preocupação...! O que eu faço...?

O coração do rapaz estava a mil. Uma hora ou outra, a garota iria sofrer. E muito. No fim de contas, ela era muito sensível. Tão sensível quanto uma flor de pêssego.

— Ah, não é nada, Jully. Não se preocupe. — Ele virou-se e deu de cara com a garota o observando de perto. Sem notar, seu rosto ruborizou-se um pouco. — Ahn.. Julliet, eu tenho que ir. Tenho que estudar para as provas. Felicidades com o Henry.

Sem esperar respostas, o garoto correu para fora da casa dela. Seu coração apertava-se com tanta força que, por um instante, ele perdeu a respiração. Ouviu a voz suave dela o chamando, porém ignorou. Correu para o mais longe que conseguiu, sem sequer ter noção de onde seus pés o levavam.

Parou, por fim, em uma praça. O sol se punha lentamente; o céu começava a colorir-se de alaranjado e logo um degrade formar-se-ia, puxando pro roxo até chegar, finalmente, na escuridão da noite.

— Droga! — Bryan gritou, socando uma árvore e pouco se importando com a dor que sentira. — Maldito Henry! Filho de uma...

— Ei, Redwood! — Chamou-lhe uma voz repleta de sarcasmo.

Só me faltava essa.

O garoto não olhou em direção ao voz que o chamava. Seu corpo tremia violentamente, banhado em adrenalina e ódio. A qualquer instante ele poderia perder o controle e acabar agredindo quem quer que estivesse em seu caminho.

— O que você quer, Caleb? — Perguntou, virando-se e encarando o rapaz a sua frente, cerca de uns dois metros de distância.

Rindo debochadamente, Caleb olhou para o outro. Seu riso o deixava completamente irritado, como um dia cheio de trabalhos infinitos. Tentou respirar fundo e deu meia volta, decidindo não perder mais tempo com o amigo-irmão de Henry. Sabia que não resultaria em nada bom.

Contudo, o dito cujo estava decidido a irritá-lo.

— Sabe quem eu vi ontem dando uns “pega” na sua garota? Isso mesmo, cara. Você sabe de quem eu ‘tô falando. E sabe, também, que ele não dá a mínima para ela. Não é? Ah, bobeira minha. Claro que sabe! — Caleb continuava a rir, atentando Bryan. Estava mexendo bem na ferida do loiro. E ele gostava disso.

A ira de Bryan apenas crescia cada vez mais. Suas mãos estavam fechadas em punhos e ele tremia. Tentava, em vão, permanecer calmo e apenas continuar a andar. Sem sucesso.

— Sabe o quão cômico vai ser quando Henry tirar a virgindade dessa vadiazinha? — Comentou e olhou para Bryan, sorrindo maliciosamente. — E eu irei participar dessa festinha, com certeza!

Sangue escorreu até a calçada. O grito de um garoto ecoou pela rua e algumas lágrimas misturaram-se ao líquido escarlate. Cambaleando para trás, Caleb caiu sentado. As mãos do rapaz estava pressionando seu nariz, recentemente quebrado pelo soco que recebera de Bryan.

O loiro, por sua vez, estava ofegante e mantinha a respiração curta e bem rápida. A mão que usara para socar o outro estava um pouco manchada de sangue. Então, retomando a postura, olhou, de forma superior, para Caleb.

— Não ouse tocar nela. Você não faz ideia do que sou capaz de fazer. — Disse entredentes. Ainda mantinha as mãos cerradas em punhos. — Avise para seu amiguinho Henry que, custe o que custar, eu vou transformar a vida dele num inferno. Quer dizer, não só a dele.

Então, sorriu para o garoto que ainda estava no chão. Estranhamente, sentia-se diferente. Mesmo repleto de ira, nunca havia usado violência para resolver as coisas. Virando-se e voltando a caminhar, Bryan piscou. Parecia ter saído de um transe.

O que houve comigo?

Engoliu em seco e correu para sua casa. Ele precisava ficar só e mergulhar-se em seus pensamentos.

❖❖❖
Apreciadores (7)
Comentários (6)
Comentário Favorito
Postado 21/04/16 23:19

Eu já disse que amo os seus textos, Vic? Pois é, eu amo-os.

Prevejo altas tretas entre o Bryan com o Henry. E por falar em ambos, sinceramente amei a escolha dos nomes. Cada um tem uma marca própria, e esses dois em especial são nomes que carregam uma certa intensidade, como já dá para prever em seus personagens.

Agora quanto ao prólogo, menina, que lindo! Essa trama logo no começo é encantador, e nos instiga a querer saber o desenvolvimento dessa história. Julliet é aquele personagem que vê em seu melhor amigo apenas como um irmão, sem perceber que Bryan a protege não apenas por gostar dela, mas por pura e simplesmente amá-la.

E, pelo que nos foi demonstrado, Bryan vai é proteger com unhas e dentes ela. E vai lutar também. Só espero que ele deixe de ser tapado e converse com a Jully para evitar sofrimentos desnecessários e arrependimentos quase certos.

Bem, tenho minhas suposições, que já te mandei no wpp.

Enfim, essa história tem tudo para ser inesquecível. Porque a escrita aqui já está impecável, imagina como será o desenvolvimento. Aguardando ansiosamente ♡

Postado 23/04/16 11:27 Editado 23/04/16 11:29

CARAMBA! Eu vim ler aqui sem nenhuma intenção de, sei lá, acompanhar a história, principalmente porque eu não pensei ser um romance (esses de mais de um capítulo) e tudo mais. É só que eu te observo e como estava sem fazer nada (mesmo quando deveria estar escrevendo meu livro á essas alturas), resolvi ler as minhas notificações e, cara, como eu dei sorte de te vigiar!!! Sério, eu amo histórias assim e, por mais crítica que eu seja com algo do qual vou acompanhar, não tem como ser crítica com isso aqui, sério. Érrr.. Tu é realmente magnífica na arte da escrita, cada sentimento e tomada de atitude tão bem organizada e transmitida de uma forma impressionante.

Quero muita porrada, tiro e confusão, okay? Porque, desculpa, mas eu sou de áries, e eu amo histórias assim, ainda mais quando o amado quer proteger a sua alma gêmea, ao ponto de fazer loucuras por ela. E, nossa, como eu desejo a morte desse Henry, af, que babacão!

Enfim, queria dizer que eu AMEI e já espero pelo próximo <3

Postado 23/05/16 22:18

Eis que me surgiu tempo livro pra ler! Aaaaah queria ter podido ler antes!

Mocinha, trate de atualizar! Adorei o início da trama :D

Estou ansiosa para os futuros acontecimentos ;)

Postado 25/06/16 11:23

Maravilhoso texto ! Aguardo a continuação, vim aqui apenas por estar com a manhã livre para ler alguns bons textos, mas isso é ótimo! Não há duvidas que pode manter o nível e desenvolver tão bem os personagens ! Parabéns ! Um começo que nos deixou anseiando por mais.

Postado 14/08/16 18:37

Quase que consegui sentir a raiva do Bryan, gostei bastante. Parabéns.

Postado 19/01/18 02:28

Caraaaaaaaaaaaaca! Que início intenso! Consegui sentir a raiva do protagonista com perfeição. Um sentimento que é mais do que entendível.

Já estou amando essa obra. Ansiosa para o que vem por aí.

Parabéns ❤

Outras obras de Vitória Turbiani

Outras obras do gênero Ação

Outras obras do gênero Aventura

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Mistério