A conversa mórbida
Cria de Minerva
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 24/11/20 01:50
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 9
Comentários: 7
Total de Visualizações: 697
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 569
Este texto foi escrito para o concurso "Concurso Inspirações 2020" O intuito deste concurso é que os participantes escolham apenas e obrigatoriamente 3 (três) das 15 (quinze) frases disponibilizadas para este concurso, através destas frases escolhidas, devem redigir uma obra na qual as frases sejam inseridas no corpo do texto com originalidade. Ver mais sobre o concurso!
Livre para todos os públicos

Esta obra participou do Evento Academia de Ouro 2020, indicada na categoria Drama.
Para saber mais sobre o Evento e os ganhadores, acesse o tópico de Resultados.

Capítulo Único A conversa mórbida

Tempo e amor. Duas palavras completamente abstratas, não palpáveis. Mas compreensíveis. Até mesmo crianças são capazes de entender a beleza magnifica do sentimento e da grandeza física. Contudo, seriam os seres capazes de perceber que amor é tempo? Entretanto, tempo não é amor?

- Ora, como assim não me entendeu? Tudo bem, eu sei. Vocês são mesmo limitados. Explicarei. Qualquer um que passou pela adolescência conhece a grande e incalculável dor que se torna o primeiro amor. Inclusive, são aí que surgem essas baboseiras a qual vocês chamam de poesias, poemas e tudo isso mais. Mas você não amou aquele garoto a primeira vez que o viu sorrir, nem a primeira vez que o beijou. Isso foi construído dentro de você. Com o tempo. E também foi este que fez com que você superasse quando o viu beijar sua melhor amiga. Eu, particularmente, acredito que Einstein foi o ser humano que chegou mais perto de entender a realidade perfeita por detrás das crendices as quais foram sentenciadas anteriormente. Pois, de fato, tudo é referencial. Um dia pode parecer passar em questão de minutos, desde que você o aproveite intensamente. Enquanto que podem se passar semanas em 2 horas, se o coração pesar. Inclusive, há quem diga que o tempo não existe, que somos nós que o inventamos e tentamos controla-lo com nossos relógios e calendários. E posso te dizer que isso é parcialmente verdade. É apenas um conceito para aquilo que definha a vida e o observa ao horizonte. E é muito mais fácil entende-lo se puder tê-lo a palma da sua mão (ou no pulso). Se controla o tempo, por conseguinte, se controla o amor.

E, no final, não é tudo sobre isso? Reles mortais desesperados por sentir, por viver algo não platônico, pouco importa se é real ou não, se machuca ou não. Basta sentir. E, ah, querida amiga, aí está a magnifica beleza a qual te contei. Pouco importa quanto tempo se passou ou passará, já que é de conhecimento geral que é preciso viver. Ou sobreviver. Mas já o amor, porém, é contagioso, com especialidade na solidão. Uma vez que se o experimenta, se torna uma droga a qual o ópio sente inveja. Ele penetra cada célula do seu corpo, invade cada espaço do seu pulmão. De forma, que é tudo que você sente e respira. E você se vê desesperado para conseguir suprir esse vício, seja da forma que for. Mas mudanças acontecem de maneira certa e natural e, acredito eu, que a essa altura você já entendeu quem é o responsável por isso, certo?

-Sim. O tempo, eu já entendi! Você deve ter dito umas cinquenta vezes! Entenda, por favor, é difícil pra mim estar aqui, nessa posição. Estou dilacerada, despedaçada e desencantada. Me perdi de mim mesma e, com certeza, eu não dei por esta mudança, tão simples, tão certa, tão fácil: -Em que espelho ficou perdida a minha face? Chega de rodeios, me diga!ralhou a doce menina, a qual a Morte não conseguia perder a paciência, por pura pena.

- Oh, querida Hazel. Ainda não se lembra? É por isso que você está aqui. Acredito que seu último reflexo ficou perdido no tempo, preso nos olhos daquele que você amava. Quando ele, em uma crise de ciúmes, esfaqueou o seu rosto. Sinto muito, mas por mais que eu crie todas essas teorias para poder entender, não adianta: os seres humanos me assombram.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Preciso confessar que estou há uns dias em um gigantesco bloqueio criativo e, por esse motivo, escrever esse texto foi super complicado. Mas eu não queria deixar de participar desse concurso que adorei a proposta! Então trouxe, mais uma vez, um texto em que gosto de brincar com o leitor, mostrando que nem tudo é como parece ser, o instigando a, talvez, ler de novo para entender. Seria um pouco má? Hahaha, espero que não e que vocês tenham gostado! Um beijo.

Apreciadores (9)
Comentários (7)
Comentário Favorito
Postado 25/11/20 01:49

Antes de tudo, fico feliz que você tenha saído do bloqueio criativo com um texto tão perfeito e deliciosinho.

As frases escolhidas se encaixam tão bem na temática e tão naturalmente no estilo da escrita que parecem ter sido feitas sob medida.

Gostei principalmente do plot twist: li a frase em destaque pela primeira vez no concurso e desde então a entendi apenas como um dos muitos questionamentos abstratos que fazemos durante uma crise existencial - inclusive usando-a desse modo no meu conto -, não tinha imaginado nem por um momento que ela poderia ser interpretada e utilizada tão bem num contexto concreto.

Parabéns e boa sorte, o texto é maravilhoso!

Postado 24/02/21 19:30

Ah, esse comentário encheu meu coração de alegria. Muito obrigada por ver tanta beleza em minha obra. <3

Postado 29/11/20 00:06

Minha nossa, esse texto é extremamente impactante, triste e real. Fiquei com a impressão de que os sentimentos expressos pela morte são realmente reais, e que ela realmente sentiria isso. Meus parabéns pelo texto, incrivelmente genial, criativo e bem feito.

Postado 24/02/21 19:30

Muito obrigada pelo elogio e pelo comentário carinhoso <3

Postado 30/11/20 13:23

Saudações! Que bom que você venceu o bloqueio criativo e de quebra, nos deu um belo texto..

Achei bem impactante e até reli para captar melhor algumas coisas. Que texto carregado de profundidade. Meu trecho favorito foi esse:

"E, no final, não é tudo sobre isso? Reles mortais desesperados por sentir, por viver algo não platônico, pouco importa se é real ou não, se machuca ou não. Basta sentir."

Meus parabéns! Pra mim é um forte candidato ao primeiro lugar. :')

Postado 24/02/21 19:31

Ah, que coisa mais doce! Muito obrigada por ler, apreciar e ainda tirar um tempinho para me fazer tão feliz com esse comentário <3

Postado 30/11/20 19:31

Gostei muito do final! Parabéns pela criatividade!

Boa sorte no concurso.

Postado 24/02/21 19:31

Obrigada, meu bem ♥

Postado 03/12/20 09:06

Poxa, eu entendo sobre bloqueios (que escritor não entende?), mas mesmo "bloqueada", você escreveu um miniconto bem estruturado e brincar com o leitor deixou tudo mais interessante. Realmente eu não esperava que a conversa fosse com a Morte e que o "fim" da personagem tivesse sido tão trágico!

Enfim, parabéns por participar do concurso, mesmo tendo o temível bloqueio :)

Postado 24/02/21 19:32

Obrigada! Fico extremamente feliz em saber que mesmo com bloqueio consegui te surpreender e agradar! Muito obrigada mesmo <3

Postado 14/12/20 15:48

Querida Minerva, que alegria te ter participando de meu concurso!

Sua obra está muito bem escrita, usou perfeitamente as frases e elas se encaixaram de maneira natural e inusitada na obra!

Meus parabéns! Toda a narrativa, as dúvidas, o pesar e ao final, a conversa com a dona do mundo, a morte... Muito interessante e surpreendente, estas indagações cercam os humanos há séculos e apenas podem ser respondidas de forma individual, o amor, a solidão, a morte, a vida... Para cada um é diferente, foi lindo ver o que significa para a Hazel!

Alguns trechos são confusos e desproporcionalmente extensos, exigindo uma releitura minunciosa para que haja plena compreensão, de forma que esta estrutura possa vir a confundir o leitor ou deixar algum detalhe passar despercebido, e sua obra é cheia de detalhes pequenininhos que fazem toda a diferença!

Mas nada que algumas edições não o deixem 100% perfeito! Aliás, você é uma escritoa excepcional! <3

Mas no geral, sua obra é muito boa! Fico extremamente feliz por ter saído do seu bloqueio, dado este grandioso passo e ME presenteado com sua obra em meu concurso!

Espero te ver mais por aqui! <3

Postado 24/02/21 19:33

Eu quem agradeço, escrever para o concurso me motivou muito e foi muito divertido! Esperando ansiosamente pelo próximo ♥

Postado 07/04/21 09:54

Que texto mais lindo, Srta. Minerva! Quanto sentimentalismo magnífico nessa metáfora maravilhosa!

Fiquei completamente encantada com a beleza dessa obra! O amor e o tempo são dois conceitos igualmente belos e tristes, pois ambos podem ser a mais excruciante dor e a mais doce cura para todos os males...

Obrigada por me fazer refletir através dessas linhas!

Um grande abraço para a senhorita <3

Outras obras de Cria de Minerva

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Reflexivo

Outras obras do gênero Romântico