A tempestade de areia
Cria de Minerva
Tipo: Lírico
Postado: 11/01/21 18:12
Gênero(s): Drama Reflexivo
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 53seg a 1min
Apreciadores: 13
Comentários: 6
Total de Visualizações: 698
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 142
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos

Esta obra participou do Evento Academia de Ouro 2021, indicada na categoria Lírico.
Para saber mais sobre o Evento e os ganhadores, acesse o tópico de Resultados.

Capítulo Único A tempestade de areia

Entrei nessa tempestade de areia há tanto tempo que nem me lembro mais.

Mantinha a ilusão que isso me acalmava, que estava tudo bem, que éramos amigas.

Mas o que aconteceu de verdade?

Não passava de uma estúpida miragem, que fazia-me acreditar em suas palavras doces.

A verdade? A areia estava em meus olhos, cegando-me. Oh, céus! E agora?

A areia entupia-me os ouvidos, pouco a pouco me deixando surda. Oh, céus! E agora? O que vou fazer?

A areia adentrava o nariz, sugando todo o ar que me restava, ocupando espaço no meu pulmão. E agora?

A areia fez meu coração parar de bater, desistir de seguir em frente. Me fez acreditar que não existe nada após o deserto, eu tenho que me contentar com o clima árido, com a garganta seca.Afinal, ninguém vai me oferecer algo melhor que isso. Certo?!

❖❖❖
Apreciadores (13)
Comentários (6)
Comentário Favorito
Postado 11/01/21 22:37

As descrições acompanham o sufocar do eu poético. O leitor consegue se ver dentro da tempestade deste coração, assim como seus sentimentos e a situação trágica que ele vive. O lirismo é encantador, mas melancolico.

Obrigada por compartilhar conosco.

Parabéns, Minerva ♥

Postado 24/02/21 19:23

Seus comentários sempre são uma acalento ao meu coração. Obrigada pelo elogio e palavras tão doces, são um grande incentivo para mim <3

Postado 12/01/21 10:50

Ah sim, vai oferecer sim coisa melhor. Eu não sei porque tenho essa sensação, mas a tenho.

Postado 24/02/21 19:23

Obrigada pelo comentário. E espero que você esteja mesmo certo... <3

Postado 26/05/21 16:09

O novo sempre vem...

Não precisamos ficar presos a lugares pequenos e velhos conceitos, podemos expandir, evoluir e ganhar o mundo!

Diga em frente com fé e coragem pois o novo sempre vem...

Obrigada por compartilhar conosco!

Postado 14/10/21 16:45

Eu quem agradeço por tirar um tempinho para comentar! <3

Postado 11/10/21 22:35

Uma metáfora poderosa, sem sombra de dúvida. Acredito que possa se aplicar a diversas situações, mas a que consegui enxergar melhor foi a de um relacionamento tão turbulento e implacável quanto uma tempestade de areia. No início, ao longe, é bela, e conforme se aproxima e nos envolve, torna-se perigosa, letal.

Ótimo texto!

Postado 14/10/21 16:47

Muito obrigada por compartilhar sua reflexão comigo! Fico feliz que tenha gostado ♥

Postado 12/10/21 10:34

A pior coisa do mundo é quando entramos em uma tempestade de toxidade, mas não conseguimos nos dar conta disso.

Seja no amor, seja na amizade, ou seja na família. A ferida sempre dói mais quando vem de alguém que não esperávamos que faria isso conosco...

Existia uma amiga minha, do ensino médio, que nossa relação ia em questão de segundos do amor ao ódio e do ódio ao amor. E nenhuma de nós conseguia sair dessa tempestade de areia.

As relações humanas são muito complicadas, por vezes muito tristes, mas apesar de todo sofrimento, não devemos nos fechar pensando que todas as relações são assim, afinal, existem relações de amor, de família e de amizade que são lindas!

Obrigada por me fazer refletir sobre as tempestades...

Um grande abraço <3

Postado 14/10/21 16:46

É verdade, infelizmente nos deparamos com as tempestades ao longo do caminho. Mas sempre é preciso acreditar que o melhor chegará. Agradeço pelo comentário e por ter compartilhado comigo sua experiência ♥

Postado 24/10/21 05:36

Às vezes, tudo o que nos resta é viver no deserto e nos habituarmos a isso, pois fica muito dificil crer que algo melhor virá depois que um óasis se converter em uma longíqua miragem...

A aridez é real e é o que resta na maioria dos casos, no final das contas.

Mas, quem sabe, não é mesmo? Quem sabe... Se já se está caminhando nas areias escaldantes e inóspitas, não custa (na verdade custa sim, custa muito) caminhar em busca de algo além de toda a escassez e secura externa (e interna)...

Imensa gratidão pela postagem e desculpe pela divagação provavelmente incoerente de minha parte, Srta Minerva

Descrente,

uma aberração que reside no deserto e em quem o deserto igualmente reside, Honjok.