Em Essência, Sombrio (Em Andamento)
True Diablair
Usuários Acompanhando
Tipo: Antologia Poética
Postado: 12/06/22 10:07
Editado: 02/07/22 22:15
Qtd. de Capítulos: 3
Cap. Postado: 12/06/22 10:07
Cap. Editado: 12/06/22 10:08
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 9seg a 12seg
Apreciadores: 3
Comentários: 3
Total de Visualizações: 93
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 25
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezoito anos
Em Essência, Sombrio
Notas de Cabeçalho

Comecemos.

Ps: Tive de colocar dois "haikais" em seguida por conta do limite mínimo de caracteres exigido.

Isso se seguirá por toda a obra.

Ein I e II Pedaços

I

Quão robustos parecem

Os alicérces da felicidade

Gerada do sofrimento de outrem...(?)

***

II

Como pode o Vazio

Por tempos a fio

Preencher tamanho espaço?

***

❖❖❖
Notas de Rodapé

Questionamento ou afirmação? Você, leitor(a) e/ou o tempo (lhe/me) dirá.

Em tempo: embora a princípio pareça algo voltado puramente para o campo afetivo, o primeiro poema engloba múltiplas camadas da Existência em si.

É isso.

Apreciadores (3)
Comentários (3)
Postado 14/06/22 00:33

Eu até gostaria de deixar um comentário dígno de tal obra, mas meus pensamentos se negam a permitir.

Aguardando mais! (na fé vem!)

Postado 14/06/22 18:54

Ah, Srta Yvi...Sei bem coml se sente bem como o que está tentando dizer/passar, então fique em paz. E minha extrema gratidão por ler e comentar esta obra.

Postado 14/06/22 18:00

Uma linda dança de respostas retóricas para perguntas já conhecidas. O vazio ocupa o lugar que separamos para ele e, as vezes, temos muito espaço livre.

Postado 14/06/22 18:58

Curiosa e ironicamente, uma das minhas grandes e raras amigas havia me dito algo semelhante acerca do (meu) Vazio quando "debatemos" sobre o tema há alguns anos...

Gratidão pela leitura e comentário, Srta Lovely.

Postado 18/06/22 15:54

Estamos fatalmente indo de encontro com o caos, em detrimento da ordem que conseguimos instalar, alicerces ou não.

É uma corrida íngreme montanha acima e, do topo, vem descendo suave um rio de areia.

E, vez em quando, somos acotovelados morro abaixo, por malícia ou não. Aí, agarramo-nos no que der, ou rolamos de volta ao vazio do deserto.

O vazio do deserto é para onde um dia voltaremos.

Welcome back, creature of the desert

Sjow

Postado 22/06/22 21:19

Satã me receba com os piores tormentos que sua imaginação puder lhe conceber se este comentário não me arrancou um arrepio da alma...

Muitíssimo obrigado por isto e por estas caridosas e calorosas boas vindas, caríssimo Sr Right R! Gratíssimo, gratíssimo!

Outras obras de True Diablair

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo